31/01/2010

O Recomeço - Parte IV

Houve hoje, uma felicidade não muito repentina na minha pacata manhã de domingo. O último das minhas férias.
Enquanto eu ainda estava na cama, uma música boêmia me embalava, e me soava tão familiar... uma voz infantil que eu fazia questão de me acostumar e amar sua melodia, e tudo o que eu sempre quis ouvir.

Essa parte eu confesso: a melhor do meu Recomeço.
Desde quando sua tia que não dá notícias à três anos por briga de família aparece na sua casa que fica no fim de mundo?
Juro que nunca chorei tanto na minha vida, eu fiquei muito feliz mesmo.

Concluindo: Estou indo bem com essa coisa de Recomeço.

28/01/2010

O Recomeço - Parte III

Hoje de manhã, depois de varrer a casa inteira, sem muita intimidade eu estava descascando batatas. Mentira, eu estava cortando a parte que tinha casca, pra ser mais específica. Depois que eu vim pra cá, certas coisas mudaram muito, mas muito mesmo.
Tipo minhas pernas. Estão mais finas por sinal. Mesmo ficando dentro de casa sem fazer absolutamente NADA O DIA INTEIRO (exceto varrer, descascar batatas e escrever, tudo isso esporadicamente), eu emagreci dois quilos, eu disse DOIS QUILOS desde quando eu cheguei aqui. Isso sem falar quando eu como e me dá vontade de vomitar tudinho, ou quando eu fico literalmente dentro do guarda-roupa pensando. Tô ficando mentirosa e esquecida. E de pensar que fazer 15 anos não ia fazer diferença! Acredita que agora eu tenho TPM? Antes eu tinha BHPM (Bom Humor Pré Menstrual). Agora eu dei pra ficar chorando pelos cantos, irritadinha e todas essas coisas que pessoas, digo, mulheres normais têm nessa época mensal.
E sabe outra coisa HORRÍVEL que eu constatei? Que a minha Conspiração Vital acabou! Pelo menos é isso que eu acho. Isso é uma coisa que me dá desespero.
Outra coisa que me dá desespero é que eu não sabia/sei (estou em fase de adaptação)recomeçar. Pensa comigo: Eu não estou recomeçando uma crônica, ou qualquer coisa que se possa recomeçar facilmente. Eu estou recomeçando a minha vida! Vocês têm noção do que é isso? Tá, talvez tenham, mas isso não vem ao caso agora.
O que acontece é que eu estou Recomeçando, como eu já disse, e ao mesmo tempo, me ocupando e me prendendo à um amor de dois anos atrás. Para um desfeche completo do meu (Feliz!Maravilhoso!Viva!)Recomeço, preciso de uma coisa: esquecer, sacrificar.
Como, como que eu vou conseguir recomeçar assim? Junto com a vida preciso recomeçar essa coisa de apaixonar de novo, concordam?

Enfim, independente de o meu pensamento ter sido claro ou não, eu preciso de uma desculpa pra esquecer. O que me dói mais ainda é que ele tá me ajudando sem nem me dar sinal de vida.

Desculpa se isso tudo foi meio insano. Ah, e eu não pretendo voltar com o Roberto. Recomeçar com ele não viria bem agora. Pra mim existem vários tipos de recomeço, mas isso não é assunto pra ser tratado agora.

Ceres manda um beijo para o Sérgio

24/01/2010

O Recomeço - Parte II

Sinceramente, não imaginava que a parte "triste" dessa coisa de recomeço viesse tão rápido.
Estou com uma vontade enorme de chorar. Deitar em posição fetal e chorar, chorar e chorar, só me falta oportunidade (e ombros) pra isso.
Domingo à tarde em Sete Lagoas é chegar perto da morte, ainda mais num recomeço.
Indepente de ser bonito, que dê pra mim dar banho no cachorro e coisinhas mais,nesse recomeço me falta uma coisa, e a cada minuto que passa tá ficando pior.
Se alguém, por um acaso, souber como acabar com isso (alguma coisa que eu possa fazer) é só me falar.

21/01/2010

O Recomeço - Parte I de muitas partes

Recomeço é uma coisa bonita. As pessoas veem isso como oportunidade de fazer coisas que são importantes, mas que nunca fazem. No meu caso, eu dei banho no cachorro, e, lutando contra meu sedentarismo, vim de bicicleta pra lan house. Bicicletas me deixam nostalgica. Meu recomeço começou, de fato, hoje. Agora eu não sei mesmo quando eu vou voltar pra Belo Horizonte. Me dói o fato de eu estar começando a gostar daqui.
A dor só tem um motivo. O motivo que me prende, de forma inexplicavel ao meu quarto que agora dá eco, de tão vazio, às minhas coisas encaixotadas, às poesias que eu escrevi nos últimos dois anos e agora, às minhas lembranças mais recentes.
Cara, isso dói muito! Me sinto tão ingrata em poder recomeçar e não querer!

O recomeço, por mais bonito, fascinante, e cobiçado que seja, é doloroso. Pelo menos pra mim está sendo.
Por mais que minha vida aqui deslanche, que eu tenha muitos amigos, vá bem na escola, arranje outro namorado e seja feliz, eu sei que vai ter, lá no fundo, minha partizinha querendo estar perto do meu amigo preferido. Pena que, agora, ficar perto dele me custaria a cabeça. E o humor do meu pai.

09/01/2010

Postagem de número 168

Todo mundo agora fica me perguntando qual é a sensação de se ter 15 anos de idade.
Eu respondi a mesma coisa pra todo mundo: Não tem diferença nenhuma !


Estou na casa da minha madrinha desde terça, resolvi passar meu aniversário aqui com ela. Primeiro que em Sete Lagoas não ia ser muito construtivo, não tem nada pra fazer. Segundo que não tem ninguém (além da minha mãe, dos meu irmãos e da Ilma, que por um acaso é mãe da admiradora número um do meu exnamorado) que me interesse, nem que me mime muito. Pra você ter uma noção, eu fui no shopping dois dias seguidos, e foi muito bom. Compraram pra mim um bolo muito fofo, com morangos, e eu acho que só não foi perfeito porque minha mãe não tava aqui, de resto, foi assim... LINDO ! Melhor, beem melhor do que eu talvez merecesse depois das minhas duas últimas duas macaquices.

Enfim, agora eu estou com uma vontade enorme de chorar. Talvez eu esteja com saudade de casa. Das duas casas.

Eu me sinto estranha, talvez eu seja a unica que faz isso, mas às vezes, quando eu tô sozinha, eu fico narrando o que eu penso. Não em voz alta, mas é, vamos dizer assim... tão... normal pra mim! Hoje mesmo, tava pensando nisso tudo que eu tô escrevendo, e tinha até trilha sonora. Geralmente é Sweet Child O' Mine, ou qualquer coisa do gênero. Hoje era Import Myself Because. É o tipo de música que acalma.

Ignorem o parágrafo de cima.

03/01/2010

- Feliz Ano Novo, Íris !
- É Ceres !


Hm, não posso reclamar.
Ultimamente aqui tem ficado melhor. Passei Ano Novo na casa da minha vizinha que dava/dá em cima do Roberto, que por sua vez, tá viajando desde o Natal.
Meu pai fez pega na rua, por (muita)sorte que não estava no carro com ele. O Léo e o Ícaro chegaram brancos de susto em casa.
A gente descobriu um lugar bom pra pedir sanduíche.
Ontem eu criei coragem e fui ficar na porta de casa conversando com as meninas.
Sim, as meninas; aquelas que não têm nada a ver comigo, elas mesmo.
Meu pai têm falado comigo, pelo menos um pouco.
Em falar em falar, tenho gastado telefone demais.
Terça eu vou cedo pra casa da minha madrinha, vou passar meu aniversário lá, é o melhor que eu faço.
Cheguei à conclusão de que Belo Horizonte é mais animado e mais legal do que Sete Lagoas, mas isso já era de se esperar.
Estou doida pra que as aulas voltem, também cheguei à conclusão de que eu prefiro rotina do que ter nada pra fazer o dia inteiro, todos os dias, ainda mais num lugat chato.
Depois de ter passado um dos maiores desesperos da minha vida, depois de um ataque de pelanca, e ter quebrado a porta, eu tenho ficado mais calma, e eu acho que o resultado disso foi mais de um mês sem espinhas, tô feliz em relação á isso.
Também estou cansada de tanto ler as mesmas revistas.
Quero ler "Dom Casmurro", do Machado de Assis e "O Arcano Nove", da Meg Cabot.
Se minha madrinha me perguntar o que eu quero eu já sei o que dizer, pedir livros pros adultos é sempre bom, a gente ganha certa admiração.
Nossa, fiquei sabendo que aqui tem um menino que se chama AGEMIRO. Não que isso seja importante, mas, quando eu digitei "admiração" eu lembrei disso.
No Ano Novo, pra agradar a minha mãe, eu tirei meu alargador, e quando eu fui por de novo, ele não entrou, agora fechou tudo!
Apesar de eu gostar muito dele, agora eu tenho uma desculpa pro Sérgio pegar na minha orelha de novo. Se esse não for o caso, eu não ligo, porque minha orelha ficou até bem bonita sem ele.
Tenho pensado muito nas hipóteses, no caso de as coisas derem errado. Porque assim, eu nunca sei o que vai acontecer, não tenho certeza de nada ultimamente, e "pensar negativo", de uma certa forma, tem me ajudado.
Aí eu fico naquela: o que vier é lucro, sabe?
Enfim, eu estou bem, obrigado.
© 2014 Conspiração Vital - Todos os Direitos Reservados | Design por Ceres Bifano, Diagramação por  Matheus Pacheco.