30/11/2010

[Quando ele ler, dá um título]

Eu suspirava. Cantava qualquer música capaz de não me distrair. Curtia aquela coisa que ele tem de levar meus olhos involuntariamente para a sua boca, suas mãos que sempre mexem nos meus cabelos. Fecho os olhos pra ouvir sua voz com mais atenção. Ele consegue fazer com que minha frequência cardíaca aumente consideravelmente com um unico beijo.
Posso dizer uma verdade?
Ele é perfeito.
Parece fantasia, filme de "Sessão da Tarde", e como diria a Michele, propaganda de margarina.
Parece qualquer coisa que eu sonhara pouco vagamente o tempo todo.
Parece um objetivo de vida alcançado, felicidade completa, sensação de não precisar de mais nada.
Juro, até agora, me distraí.
Ainda penso nele como eu pensava enquanto esperava nosso primeiro beijo.
Ainda penso nele como se fosse a primeira vez que ele me disse "Eu te amo".
Ainda penso nele da mesma forma do que dia vinte e três de novembro, a uma e cinquenta e oito da manhã, pra dizer que, melhor do que isso, me ama absolutamente.
Ainda consigo escrever qualquer tipo de texto falando de você de forma concreta, tudo bem?
Não terminou do jeito que eu almejava, mas ah, você tá aqui no sofá, do meu lado, virado pra TV para não ver o que eu estou digitando.
Ai ai.
Te amo, Matheus. Absolutamente.

03/11/2010

A Conspiração sempre será Vital

- Sabe qual é o problema?
- Hm.
- A Conspiração é Vital.

Agora eu vejo, dois dias depois, que isso não é um problema. Na verdade, isso se tornou meu consolo. Me consola o fato de saber que quando a vida conspira contra mim, é sinal que eu ainda tenho chance de acertar, e, se eu errar, é pura e simplesmente aprendizagem.
Aprender com os tombos. Aprender com a conspiração. Isso foi o que eu vi como objetivo dois anos depois de descobrir que isso tudo existia contra mim. Contra mim, e todos nós.
A conspiração me levou Belo Horizonte, me levou tudo o que um dia para mim era vital. E me trouxe Sete Lagoas, me trouxe saudade, e um pedacinho de Belo Horizonte que eu simplesmente não conhecia. O que - olha, que surpresa - realmente é vital.
Sabe o que é vital?
É acordar um dia, e saber que esse é mais um dia perto de quem você ama, sendo amada.
É entrar em casa e saber que aquilo é seu e da sua família, que ali nada nem ninguém os alcança, que assim, poderão construir sua felicidade.
É saber onde é seu lugar.
É encontrar seus reais objetivos.
É dizer "Eu te amo", e saber que é recíproco.
É saber que as pessoas dão valor à sua amizade e confiam e você.
Vital é ser realmente feliz, em todos os aspectos.
Desculpa. Menti para você esse tempo todo sobre meus conceitos conspirandos.
Se antes eu escrevia pra reclamar da minha Conspiração Vital, prometo que agora vou ser só elogios pra ela.
Agora eu entendi o por quê das coisas, e parece que isso tudo para mim não faz mais sentido.
Talvez isso seja conspiração, não é?
Espero que sim.

Feliz Aniversário de dois anos, Conspiração Vital.
Feliz Aniversário de um mês de namoro, Matheus.

(Matheus: consequencia da Conspiração, que é Vital.)
© 2014 Conspiração Vital - Todos os Direitos Reservados | Design por Ceres Bifano, Diagramação por  Matheus Pacheco.