04/07/2011

Música das Dez


Minha vontade era que isso fosse uma música.
Não passei de sol, e chegando lá tive quase certeza de que não conseguiria.

E quando as minhas mãos não trêmulas te puxarem pela nuca,
o unico desejo de minha boca é o poder da sua.

Engolia à seco o remédio das dez horas,
tocando violão sem corda,
acalmando o coração que sem você chora.

Minha poesia de dia sete não tem ritmo,
a não ser o cardíaco.

Fico lembrando do seu sorriso,
que em rascunho,
decifro e descrevo em verso sujo.

Vontade de ter você aqui comigo
debaixo do edredom vermelho e vazio;
sem refrão.

O sono das dez e meia chega,
o ritmo - que não existia - se extingue.

E só.

04/05/2011

Conosco


De longe, ele vinha. Naquele passo maroto, com as mãos no bolso. Eu gritava, saltava... por dentro. A unica coisa que eu deixava transparecer era meu sorriso. Mantinha as mãos entrelaçadas na frente do corpo, como tenho o costume da fazer. E ele vinha... e chegava, e chegava... Agora, eu já balançava as mãos ainda juntas. Ele ficava cada vez mais perto. Cada centímetro que ele percorria em minha direção equivalia a 100 batimentos cardíacos meus. O tempo todo ele mantinha os olhos de mim, e depois diretamente nos meus olhos. Parou. Próximo o bastante para eu não precisar mais de segurar minhas próprias mãos. Não conseguia enxergar outra coisa que não fosse seu sorriso. Percebendo meu êxtase, ele segurou as minhas mãos, entrelaçando meus dedos nos dele. Não importa como o dia estava, ou como eu havia acordado, porque ele estava me beijando. Nada mais importava. Eu estava com ele, e ele, comigo. Nós estávamos conosco.

30/04/2011

Sete meses



Eu te vi deitado na minha cama. Cobertor tampando até a boca, de bruços, com os braços debaixo do travesseiro; exatamente como eu estaria caso estivesse no seu lugar. Passei na porta do quarto uma, duas vezes, só para observar.

Eu sentia uma ansiedade doida de correr, deitar em cima de você, e ficar lá, quietinha, sentindo seu calorzinho matinal de sábado. Mas não. Fiquei me corroendo, devagarinho, e você na sua pose pornográfica, sem mexer um músculo, me extasiando. Até que, segurando a barra do meu short de pijama, eu resolvi chegar perto; afinal de contas, ninguém me dissera que não podia.

Sentei na beirada da cama, bem pertinho, sentindo o que podia daquela distância infinita. Fui me inclinando para perto do seu rosto. Parei no meio do caminho. Recuei. Sua boca estava coberta, oras. Continuei naquela tortura de te olhar dormindo, que aliás, é uma delícia. Novamente me inclinei para perto. E mais. E mais. Sentia sua respiração no meu rosto. Me aproximei mais.

Passei o nariz, devagarzinho, na sua bochecha. Ia e voltava com o rosto, arrepiando, sentindo, derretendo por dentro. Você se mexeu um pouco, encolhendo mais ainda, com os olhos fechados. Eu sorria de tal maneira, que aquilo parecia fazer parte do meu rosto, como se ele estivesse sempre ali.

E você não tem ideia de como faz isso bem. Essa coisa de me fazer feliz.

Parece que você via aquilo tudo mesmo de olhos fechados; porque sua boca, agora à vista, também sorria para mim. Passei o braço por cima de você, deitei a cabeça nas suas costas. Num átimo levantei, beijei seu rosto, bem devagar; sentindo, derretendo... tudo de novo.

E você me fazendo feliz, como sempre fez. Como sempre irá fazer. À sete meses atrás, daqui a sete meses, sete anos; assim eu penso. Quero você feliz, me fazendo feliz, assim eu sonho. Satisfeita, levantei-me da cama, saltitante. Olhei para trás e você dormia, na pose pornográfica de sempre.

15/02/2011

O Acaso


Não sei, me deu vontade de sair de casa.
Dessa forma, pedalando, eu me sentia bem. Estava no nosso lugar favorito, e cada parte daquele lugar me passava de forma rápida, me lembrando aquilo que vivemos aqui. Não vinha desde quando você foi embora. A unica coisa que conseguir fazer desde então foi me contentar com suas lembranças, com sua carta escrita em caneta preta guardada na agenda. Tenho saudade do seu cheiro, do seu sorriso, de você tocando violão para mim.
Assim, eu pedalava. Pedalava para encontrar as minhas lembranças. Dei várias voltas na nossa lagoa favorita, senti o sol invernoso queimando a minha pele, o céu azul e limpo, o vento frio assoprando-me.
Até que vi alguém à minha frente. Um homem. Alto, fardado, de costas pra mim. Ele andava, vagaroso, com uma mochila nas costas, coçando a cabeça. Me distraí olhando para ele.
Devagar, fui parando de pedalar, mas não apertei os freios. Fui deixando a bicicleta me levar.
Quando dei por mim estava com o joelho ralado, e em cima do cara fardado.
- Você voltou? - eu disse para ele.
- Que bom que você está aqui, por pouco não te encontro em casa.
E mesmo com meus sessenta quilos em cima dele, ele sorria para mim. Aquele sorriso que eu tinha saudade.
- O que você está fazendo aqui?
- Nós dois sempre nos atraímos meu amor, lembra? - eu disse, enquanto ele me levantava.
- Lembro sim, querida. - e me beijou.
Ele me levou para casa, me abraçando pela cintura e empurrando a bicicleta.
Depois disso, descobri o porquê de ter saído de casa.
E, aliás, o acaso não existe.

25/01/2011

Conselhos Grátis


Antes de você se deixar levar por qualquer sentimento que te transforme numa completa deprimida sem vontade própria e totalmente vulnerável, pense duas vezes. Repense.
Veja se o seu problema é mesmo tão grande ou se são só seus olhos, sua cabeça e/ou seu corpo inteiro que têm lente de aumento. Isso sempre acontece, vai por mim.
Conclua. Veja se vale a pena se lamentar, e chorar (Digo que quase sempre não vale).
Seja confiante. Sinta-se bem. Vista a roupa que gosta, arrume o cabelo, faça as unhas; mas não se deixe escravizar pela aparência. Se aceite. Ninguém nunca está satisfeito com o que possui.
Faça com os outros aquilo que queriam que fizessem com você. Beijei alguém devagar, com carinho. Dê um presentinho para uma amiga. Arrume a cama do seu irmão.
Aos poucos, isso fará parte de você.
Pense, sempre coisas boas. A maioria das pessoas não têm ideia da força que o pensamento tem.
Se alguém que você ama não está mais aqui, trate de pensar apenas nos momentos felizes que viveu com essa pessoa. Acredite: isso será bom para ambos.
Cante. Cante qualquer coisa que lhe traga qualquer sensação boa.
Sente-se no chão. Olhe o céu, as estrelas.
Acorde cedo para comprar pão.
Tenha objetivos. Termine o que você começou. Tenha uma vontade saudável de abraçar o mundo.
Escreva. Escreva como foi seu dia, liste o que quer de aniversário, o que deseja para o ano. Escreva uma carta para o seu namorado, para um amigo distante.
Lembre as pessoas o quanto elas são importantes para você. Diga "Eu te amo", em todas as oportunidades que tiver. Com convicção e sem mentira, claro. Pergunte se está tudo bem, fale que está com saudades. Não esconde o que você realmente sente.
Chore. Chore sempre, porque segurar choro dá dor de cabeça.
E sabe o que é mais importante? Eu mesma não sigo nem um terço disso. Porque se conselho fosse bom, eu não dava assim, de graça. Nem eu, nem ninguém.

21/01/2011

Selos

 

Recebi esse selo da Bruna Morgan, do blog de mesmo nome, Bruna Morgan, haha.
Aliás, muito obrigada, querida.
Enfim... como eu recebi o selo, preciso seguir algumas regrinhas:
           Repassar o selo para 15 blogs;
           Avisar para cada blogueiro que receber;
            Responder as perguntas.

Nome: Ceres Soares
Uma Música: Sweet Child O' Mine, Guns N' Roses.
Dez Coisas sobre mim:
                                               1- Coleciono botões.
                                               2- Gosto de customizar roupas.
                                               3- Meu chinelo Havaiana tem estampa de gatinhos.
                                               4- Uso a unha da mão direita grande, e da esquerda, bem curtinha.
                                               5- Tenho usado muito verde.
                                               6- Minha peça de roupa favorita é uma saia jeans preta.
                                               7- Tenho 9 pares de All Star.
                                               8- Meu cabelo tem progressiva.
                                               9- Tenho dois irmãos mais novos.
                                               10- Uma das minhas melhores amigas tem o cabelo verde, por enquanto.

Humor: Acabei de acordar, não vamos discutir isso.
Uma Cor: Verde.
Como Prefere Viajar: De carro e olhe lá.
Um Seriado: The Vampire Diares
Frase ou Palavra mais Dita por você: "Enfim"
O que achou do selo? Hm... ele é lindo!

Os 15 blogs:
                         1- Nostalgia Vital
                         2- Pedaços do Infinito
                         3- A Pseudociência
                         4- Só Podia Né
                         5- Hora da Estrela
                         6- Tchutchando
                         7- Segredos, Cigarros e Momentos
                         8- Sorria!
                         9- Pra Cantar e Beber
                       10- Amores e Anseios
                       11- Mundo Platônico
                       12- Nova Perspectiva
                       13- Certas Entrelinhas
                       14- Truths of a Heart
                       15- Surtos Talvez Lúcidos

Hm... acho que é só isso mesmo. (Deus, essa coisa de selo cansa!)
Obrigada de novo, Bruna.




                                                          

20/01/2011

Mate a Nostalgia


E, por favor, não me lembre o motivo de eu ter feito esse blog.
Me lembre, apenas, do motivo do meu presente sorriso.
Me lembre, apenas, do amor que eu esperei existir.
E que agora vivo, para minha inteira felicidade.

19/01/2011

Analogia da Gata


Assim mesmo, gatinha manhosa, espero que fique bem.
Espero que cresça por dentro.
Te desejo o melhor admirando seu pêlo furta cor.
Não faça nada de errado.
Eu te amo e é verídico; mesmo sendo feito da forma mais desvairada que meu coração conhece.
Gatinha manhosa, não pule o muro. Apenas passeie nas telhas, onde eu possa vê-la.
Juro para tu que lhe protejo, onde estiver.
Seja feliz, gatinha manhosa.

17/01/2011

Paixão: Cássia Eller

Lembro-me nitidamente de sentar na frente do móvel da sala para escolher as capas mais bonitas dos CDs do meu pai. Tinha uma que eu gostava em especial: Uma mulher de cabelo curto e com  mesma inicial que eu ia bem, eu refletia.
Meu irmão, um ano mais novo do que eu, apesar de não ter altura suficiente colocava o banco, subia e, com delicadeza, jogava o CD na bandeja. Fechava, e quando o aparelho reconhecia o CD, ele apertava para tocar a faixa 2. 
Nem eu, muito menos ele, sabia o nome da música. Sabíamos apenas que "garotinha" rimava com "sozinha". 
Fazíamos isso com frequência.
Eu aprendi a ler. Aprendi o nome da mulher de cabelo curto. 
Ouvíamos o CD da capa bonita no carro enquanto viajávamos. 
Virei fã da Cássia Eller. Não me assustei quando descobri que era homossexual ou que mostrava os seios durante os shows. 
Posso dizer que ela é uma boa lembrança da minha infância.
- Ceres, achei o que eu queria te dar. - e estica o embrulho.
E aquele foi um dos melhores presentes que eu ganhei. Meu primeiro CD da Cássia Eller.*


Parece uma droga pesada, um chá do Santo Daime. É muito louco. Eu não sei te dizer se é bom ou ruim, só sei que na hora de cantar não estou aqui, estou viajando pra algum lugar que não sei dizer aonde. 
- Cássia Eller, comentando sobre o ato de cantar, em entrevista à Folha Ilustrada, do dia 01/01/2002, às 03h49.

15/01/2011

Dezesseis Espatódeas Completas



Ela chegou perto de mim, ajoelhou na minha frente, e consertou o cabelo lindo e curtinho que eu adorei, colocando-o atrás da orelha.
- Ceres, preciso te mostrar isso.
Pegou o celular, apertou botões com cautela, e depois me entregou.
- Essa música me lembra você, sabia?
Eu ouvi a musica, pra gravar cada acorde, pra, quando eu ouvir de novo, me lembrar ela também.
Ela me falava o quanto gostava de mim, e o quanto eu era importante pra ela.
E isso fez com que meu décimo sexto aniversário fosse o melhor.
Que, pela primeira vez na vida, eu dei valor pra amizade certa. E sabia disso. E tinha certeza de que aquilo me faria bem.
E só. Pra quê mais?
Estou numa fase de satisfação. De estar feliz com o que tenho. Estou numa fase de me sentir completa.
E não, não usei a palavra "espatódea" no sentido certo.

03/01/2011

Você, aqui.


Fecho os olhos.
Deixo as mãos numa posição confortável sobre as pernas.
Levo a cabeça para trás.
E como é fácil te achar aqui.
Assim sorrio, assim sonho.
É fácil, te tenho aqui comigo.
Te tenho nas mãos, te tenho nos braços.
Tenho seu abraço, tenho seu cheiro.
Tenho você em sonhos, tenho você imaginando.
Você me carrega, gira e sorri o meu sorriso favorito.
Pra quê mais?
Me responda... pra quê mais?
© 2014 Conspiração Vital - Todos os Direitos Reservados | Design por Ceres Bifano, Diagramação por  Matheus Pacheco.